Na ocasião, o diretor da unidade mostrou ao público como o projeto “Teens ao Máximo” gerou resultados positivos para os internos do sistema

Nesta semana, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), apresentou o modelo de gestão adotado pelo Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa durante o Workshop de Fortalecimento do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo no Brasil, que aconteceu entre os dias 25 e 27 de novembro, em Fortaleza, promovido pela ONG Terra de Homens.

Segundo a titular da Sejusc, Caroline Braz, no evento, o órgão foi representado pelo diretor da unidade socioeducativa, Antonio Juracy, que mostrou ao público como o projeto “Teens ao Máximo” gerou resultados positivos para os internos do sistema.

“O Governo do Amazonas está investido na ressocialização desses jovens e o resultado tem sido a redução na taxa de reincidência. Neste ano, também fizemos parcerias, como é o caso do Instituto de Desenvolvimento para a Informática da Amazônia, que ofereceu vagas de emprego para os alunos com melhor desempenho acadêmico”, destacou a secretária da pasta. “A proposta do ‘Teens ao Máximo’ é oferecer um olhar diferenciado e reverter o conceito de cuidar dos internos, é fazer com que as atividades sejam de cunho pedagógico e realmente eficazes”.

Boas práticas – O diretor do Dagmar Feitosa, Antonio Juracy, contou que é a primeira participação do Amazonas em um evento organizado pela ONG Terra de Homens, que tem a missão de promover, garantir e defender os direitos das crianças e dos adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

“O que apresentamos foram as boas práticas realizadas no Dagmar Feitosa, que tem uma gestão de autocomposição para trabalhar a justiça restaurativa. É o novo modelo de gestão, inovador, conforme proposto na lei do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, o Sinase”, destacou Juracy. “Fomos recebidos com bastante entusiasmo, porque, na ocasião, estavam somente unidades do Brasil que estão desenvolvendo boas práticas, então era um grupo seleto e o Amazonas estava presente para compor a pesquisa que vai fortalecer o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo no Brasil, no sentido de fazer um levantamento sobre tipos de gestão que asseguram direitos dos adolescentes”.

‘Teens ao Máximo’ – O projeto, com objetivo de respeitar, acolher, facilitar a inclusão social e realizar o acompanhamento para a construção de uma nova vida para internos do socioeducativo, oferece acompanhamento educacional, médico, psicológico e profissionalizante.

Uma das medidas adotadas no espaço é a divisão do período em que os adolescentes cumprem as medidas por níveis e cores de alojamento, onde são utilizadas diferentes técnicas de ensino. O alojamento verde, local onde o adolescente fica quando chega ao Centro, tem o objetivo de criar sentimentos de acolhimento e respeito, que faça o interno enxergar sua condição. Neste espaço, é realizado o acompanhamento inicial com os profissionais do sistema

No alojamento amarelo, o objetivo é fazer a implementação do Plano Individual de Atendimento e inserção nos projetos profissionalizantes. Neste nível, o adolescente descobre seus talentos e fraquezas.

No alojamento azul, os internos são motivados a construir um plano de vida a curto e médio prazo, além disso, são também inseridos em projetos profissionalizantes.

Prêmio Innovare – Neste ano, o “Teens ao Máximo” está concorrendo a mais importante premiação da Justiça brasileira, o Prêmio Innovare.

O Prêmio Innovare busca identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil. Em sua 16° edição, conta com 617 projetos inscritos em categorias como Justiça e Cidadania (170 trabalhos), Ministério Público (165), Juiz (100), Defensoria Pública (78), Advocacia (57) e Tribunal (47).

A disputa é dividida em oito etapas e agora conta com a visita de consultores nas unidades dos projetos inscritos. O resultado final será divulgado em dezembro.