Acessibilidade

Sejusc monta base de apoio em hospitais para atender parentes das vítimas do coronavírus

Serviço estará disponível nos hospitais e prontos-socorros 28 de Agosto, João Lúcio e Plantão Araújo

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) vai montar pontos de apoio socioassistenciais em hospitais e nos Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) para agilizar a liberação de corpos das vítimas da Covid-19 em Manaus. Inicialmente, três hospitais da capital contarão com o serviço, que inicia a partir desta sexta-feira (24/04). Uma equipe volante estará disponível para atender demandas nos SPAs.

A ação será realizada em parceria com diversas secretarias do Estado, além da Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasc) através do serviço SOS Funeral. O serviço estará disponível, das 7h às 19h, nos hospitais e prontos-socorros 28 de Agosto, João Lúcio e Plantão Araújo.

O Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e a Defesa Civil do Amazonas (Subcomadec) também fazem parte da ação.

A titular da Sejusc, Caroline Braz, ressalta que o objetivo da ação do Governo do Estado é garantir atendimento humanizado às famílias neste momento tão difícil. Segundo Caroline, as equipes estão treinadas em relação a todos os protocolos de segurança para garantir a segurança das famílias e dos próprios servidores.

“A perda de um ente querido é difícil para qualquer um de nós. Para amenizar esse momento de dor, o Estado do Amazonas, por meio da Sejusc e outros órgãos, está lançando um atendimento psicossocial a essas famílias em três grandes hospitais. Vamos atender as pessoas com orientação de psicólogos, assistentes sociais, e também de forma jurídica para suavizar esse momento que as famílias precisam estar regularizando e organizando trâmites burocráticos. É um atendimento mais humanizado”, explicou.

A ação será desenvolvida por uma equipe multidisciplinar composta de assistentes sociais, psicólogos e profissionais da área jurídica que realizarão a escuta das famílias e darão todas as orientações e direcionamentos até o serviço de funeral a ser prestado pelo Município, garantindo o atendimento mais humano possível às famílias, além de orientar sobre protocolos sanitários para evitar a continuidade da contaminação.